Caso Terpenoil: Inovação em limpeza e tratamento de ar e efluentes

18/10/2012
COMPARTILHE

 

José Luiz Majolo trabalhava no Banco Real e foi logo após a fusão com o ABN AMRO Bank que tomou a decisão de trabalhar de forma mais próxima à sustentabilidade. Foi ao fundar uma pousada construída seguindo os preceitos da sustentabilidade em meio à Mata Atlântica que Majolo conheceu os produtos de limpeza à base de terpeno, após tentar combater, sem sucesso, o mofo no estabelecimento através da utilização de materiais convencionais de limpeza. Encantado com o poder de atuação do produto, Majolo foi atrás do seu idealizador, o prof. Raul Correa, que o desenvolveu no Parque de Desenvolvimento Tecnológico da Universidade Federal do Ceará. Após alguns testes, Majolo resolveu abrir um negócio para desenvolver, produzir e comercializar os produtos à base de terpeno. Alguns anos depois, Marcelo Ebert sai do banco para se juntar a Majolo na empreitada, com o objetivo de concorrer no mercado com os químicos sintetizados, inserindo os produtos naturais e inovadores dentro do mercado convencional de produtos de limpeza.

Os terpenos, explica Marcelo, são os ativos encontrados em abundância nos óleos essenciais das plantas e são responsáveis pela assepsia da Natureza, cumprindo basicamente três funções: a solvência, a neutralização de odores e a ação bactericida. As linhas de produtos da empresa realizam exatamente essas três funções e os terpenos são extraídos a partir da casca da laranja. A escolha se deu dada a abundância da fruta no Brasil que, sendo seu maior exportador, garante a disponibilidade da matéria-prima mesmo com projeções de crescimento exponencial da produtividade da empresa. As cascas passam por um processo físico que dá origem a blends específicos com propriedades solventes, neutralizadoras de odor e de ação microbiológica.

Apesar da ampliação da linha de produtos e da conquista de mais clientes, a Terpenoil lista alguns desafios ao longo do histórico da empresa, como viabilizar a produção do produto em escala industrial, o fornecimento de matéria prima, desenvolvimento dos tensoativos dos produtos e por fim testá-los, comprovando sua eficiência, menor toxicidade e maior competitividade frente aos demais concorrentes sintéticos. Mesmo com o sucesso, Marcelo afirma que a empresa enfrenta o desafio diário de vender os produtos inovadores à sombra do estigma dos produtos de limpeza artesanais e fracos, menos eficazes. “Somos uma empresa de tecnologia. Para nós, sustentabilidade e inovação estão intrinsecamente ligadas”, ressalta Majolo. Nossa missão é melhorar a vida das pessoas através dos produtos naturais e da inovação guiada por uma visão sustentável.”