Casos 2015

17/02/2016
COMPARTILHE

Confira abaixo a relação de casos e saiba mais sobre eles

Intelipost | Courrieros | Grupo Carteiro Amigo | Logpyx | Lotebox | Lucapi | Resolution | Truckpad

 

Intelipost

A Intelipost é uma empresa que desenvolve soluções de tecnologia para gestão de processos logísticos com foco em carga fracionada. O negócio surgiu a partir da tendência de crescimento das vendas online no Brasil e do desafio de realizar com pontualidade, com qualidade e custos baixos entregas pulverizadas num país de dimensões continentais, com sistema fiscal complexo e de transporte fragmentado.

Assim, apoiados pelo fundo alemão Project-A Ventures, os sócios Stefan Rehm e Gabriel Drummond fundaram a empresa em 2014, a partir do desenvolvimento de um software baseado na nuvem voltado para logística, incluindo a logística reversa pós-venda (troca e devolução de produtos), que otimiza os custos de frete e facilita a gestão de processos logísticos de empresas de diversos portes. Para isso, a ferramenta integra o fluxo de informações entre consumidor, fornecedor e transportadora.

Dentre os serviços oferecidos aos clientes embarcadores antes da entrega, destacam-se a cotação de frete a partir de uma conexão com uma base de centenas de transportadoras, além da gestão estratégica de regras de frete. Durante a entrega, o sistema permite o acompanhamento das encomendas em tempo real, realiza notificações automatizadas de atraso e ocorrência para o cliente, além de possuir painel de controle para o SAC. Por fim, as soluções oferecidas após a entrega permitem a reconciliação da fatura de frete, análise de performance e indenizações dos Correios.

Ao indicar as melhores transportadoras para cada entrega, a ferramenta desenvolvida pela Intelipost incentiva os provedores logísticos mais eficientes, que por sua vez contribui para a redução das emissões de gases de efeito estufa. Seu uso também otimiza os custos de coleta e melhora a experiência do consumidor, pois garante maior agilidade na realização dos processos de troca/devolução e na gestão de prazos, e confere, assim, maior transparência do processo. De acordo com os dados calculados pela empresa, a ferramenta gera para o cliente uma otimização do custo de frete de mais de 10% e redução de até 30% de chamadas no atendimento.

Em relação às perspectivas futuras, a empresa aposta que seu know-how em logística reversa pós-venda poderá ser também aplicado na logística reversa pós-consumo, pois ambos serviços apresentam as mesmas características centrais. O cenário torna-se ainda mais interessante frente às diretrizes e metas da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

 

Courrieros

Idealizada e fundada pelos sócios e amigos de infância Victor Castello Branco e André Biselli, a Courrieiros é uma empresa que contribui para uma maior sustentabilidade na logística urbana ao utilizar bicicletas e outros modais elétricos para realizar entregas.

Após tomarem contato com o serviço de “bike delivery” (ou “ecolivery”) em uma viagem a Nova York em 2012, os empresários resolveram abrir o negócio em São Paulo, pautado por valores que ambos compartilham e que não viam no mundo empresarial onde até então se inseriam, como o foco nas pessoas e nos relacionamentos. Tais valores refletem o diferencial da empresa, que consiste na rígida seleção e qualificação dos entregadores em aspectos de segurança, preparo físico, senso de localização e no trato com o cliente.

A Courrieiros presta seus serviços por meio de e-commerce programado, serviços esporádicos e fixos. Atualmente possui mais de 30 entregadores, expandiu o serviço para o Rio de Janeiro e conta com grandes empresas na carreira de clientes, como NetShoes, Nike e Walmart.  Em São Paulo, a empresa cobre os principais centros financeiros, como as avenidas Paulista, Faria Lima e Berrini, além de outras localidades.

Um dos principais desafios enfrentados pelo negócio consiste na quebra do paradigma da eficiência do motoboy. Muitos potenciais clientes eram resistentes por não acreditarem ser possível um modal ainda mais eficiente que a motocicleta em distâncias de até 10 km. Preocupadas com a sustentabilidade, algumas empresas começaram a testar e viram a eficiência: o preço e o tempo médio da entrega (R$25,00/40min) com bicicleta são equivalentes aos realizados com moto.

A empresa não só é uma alternativa de baixo carbono no serviço de entregas, uma vez que cada ciclista Courrieros evita que 113 gramas de CO2 sejam emitidos a cada quilômetro percorrido, mas também contribui com o fluxo logístico urbano nas grandes cidades em que atuam, ambas com sérios problemas de mobilidade. Com o crescente investimento em planejamento integrado na cidade de São Paulo (destaque para as ciclovias e ciclofaixas), a perspectiva da empresa é de dobrar o faturamento atual em 2016.

 

Grupo Carteiro Amigo

O Grupo Carteiro Amigo nasceu com o intuito de devolver aos moradores de comunidades do Rio de Janeiro um dos direitos básicos, que é o de receber sua correspondência. A empresa foi fundada em 2000 pelos sócios Carlos Pedro, Eliane Ramos e Silas Viera, todos nascidos e criados na Comunidade da Rocinha em são Conrado, zona sul do Rio de Janeiro.

Como o governo não gera logradouros para residências em propriedades sem título de posse, a falta de acesso a produtos e serviços atrelada a limitações na rede de distribuição é um problema que afeta quase todas as favelas e deixa seus moradores desprovidos de receber correspondências ou entregas de compras realizadas.

Diante deste cenário, os sócios e moradores criaram um serviço de entrega de correspondência em localidades sem logradouro, numeração e/ou cadastro na prefeitura. A inovação social desenvolvida pelos amigos consiste na criação de um mapa lógico, e não visual. O primeiro passo feito foi estabelecer e alinhar uma classificação para os diferentes tipos de moradia (tais como casas, prédios, sobrados e lajes) e vias de acessos (como rua, travessas, becos e vilas).

Depois de definida a categorização da via, estabelece-se o sentido de início e fim da mesma, sempre partindo de uma rua principal, para que as moradias e outras estruturas fixas (tais como pedras e árvores) sejam registradas e numeradas no mapa sequencial. Como as transformações do espaço urbano são muito dinâmicas, o mapa é constantemente atualizado pelos entregadores no ato de distribuir as correspondências nas residências e estabelecimentos cadastrados (por exemplo, registrar no mapa uma casa que se transforma em um sobrado, ou a construção de uma nova moradia num terreno baldio).

Os serviços prestados pelo Grupo Carteiro Amigo são pagos através de uma mensalidade cobrada por família, e não residência. As cartas, contas e outras correspondências são entregues nos domicílios, mas os clientes também podem utilizar o endereço do escritório da empresa na entrega de produtos e retirá-los por conta própria. Outro serviço interessante prestado recai na aplicação de questionários com os moradores para pesquisas de mercado ou levantamento de informações para algum órgão, como a secretaria municipal de habitação. 

A empresa foi o primeiro estabelecimento nascido em uma comunidade a abrir franquias. Atualmente, o Grupo Carteiro Amigo possui franquias em mais de 10 comunidades na cidade do Rio de Janeiro, com perspectivas de iniciar serviços em comunidades de outras cidades, como São Paulo e cidades-satélites que compõem os núcleos urbanos do Distrito Federal.

 

Logpyx

A LogPyx é uma empresa de Belo Horizonte especializada em gestão de pátios e na otimização das cadeias de suprimentos. Seu fundador, Eros Viggiano, identificou na morosidade dos processos de carga e descarga, que grandes indústrias e distribuidores enfrentavam, uma oportunidade de negócio.

Tal gestão, assim como muitos outros processos logísticos apresentados nesta publicação, é caracterizada por uma ineficiência operacional.  O monitoramento e controle de veículos, empilhadeiras e reboques dentro das instalações tornam-se complexos sem o apoio de um mecanismo profissional e com informações em tempo real. Esse cenário faz com que os veículos gastem tempos excessivos de permanência para embarque e desembarque de mercadorias, além de gerar filas de veículos parados em pátios de espera e em acostamentos de rodovias. 

Buscando resolver tais desafios, a empresa desenvolveu o Revolog, uma plataforma para otimização de fluxos logísticos internos ancorada em três principais aspectos: Localização em Tempo Real (Real Time Location System - RTLS) do veículo por meio de uma rede de sensores sem fio, como uma espécie de GPS indoors; automação de elementos logísticos como balanças rodoviárias, portões e cancelas, minimizando a intervenção humana; por fim, inteligência computacional, que toma decisões operacionais de forma automática e subsidia decisões táticas.

Além de otimizar os fluxos internos através das redes de sensores sem fio e inteligência artificial, a plataforma desenvolvida também contribui no combate à prostituição em estradas e exploração sexual infantil. Como as filas de carregamento em beira de estrada são pontos de indícios de exploração, ao reduzir o tempo de permanência do caminhão aguardando carregamento, o Revolog minimiza as chances de o motorista optar por essa prática.      

Em relação à trajetória da empresa, a LogPyx surgiu inserida nesse universo de inovação e empreendedorismo que desponta no Brasil. É uma startup existente há menos de 2 anos e vencedora de diversos concursos nacionais e regionais como o StartUp Brasil (Programa Nacional de Aceleração de Startups), o Inovativa Brasil (Programa MDIC que oferece aceleração em larga escala para negócios inovadores), o Corporate Venture Fórum (Fórum Nacional Investimento Estrangeiro promovido pela Apex-Brasil) e o Venture Fórum da ABVCAP. Já conquistou grandes empresas do siderúrgico e de mineração em sua carteira de clientes, e busca agora expandir sua atuação em outros setores.  

 

Lotebox

A Lotebox é uma empresa fundada por jovens empreendedores de Recife que atua na logística marítima para otimizar a produtividade operacional nesse modal específico. Após observar as operações no transporte de mercadorias em diversos países, de identificar padrões e os mesmos gargalos, a empresa resolveu investir no desenvolvimento de um sistema de gestão no fluxo de venda para operar no cenário mundial.

Empresas que exportam seus produtos muitas vezes se deparam com situações prejudiciais aos negócios, tais como transportar um container de um porto para outro e pagar o valor do frete cheio, mesmo estando o container parcialmente vazio. Práticas como essas se tornam ainda mais desafiadoras para empreendimentos de menor porte que estão iniciando suas operações no exterior.

O compartilhamento de espaços é a solução para o problema descrito acima, mas ainda é viabilizado de forma manual, através de papéis, planilhas, telefonemas e e-mails para acontecer. Ou seja, é um processo muito ineficiente e tem se tornado uma missão ingrata para operadores ao redor do mundo.

Somado à atual ineficiência do processo de compartilhamento de espaços, a logística marítima enfrenta outro grande problema que compromete a sua sustentabilidade: o descarte de contêineres. Dois terços dos contêineres fabricados anualmente não são reutilizados pela segunda ou terceira vez, devido ao alto custo de transportá-los vazios.

Buscando solucionar os desafios acima descritos, a Lotebox desenvolveu um sistema web que conecta os diversos atores, tais como importadores, traders e agentes de cargas, calcula a disposição dos itens no container e controla toda movimentação de cargas, simplificando a análise, o empacotamento e a consolidação de pequenos volumes.

A trajetória dessa pequena empresa que já nasceu internacionalizada ilustra um movimento interessante do setor de start-ups, e que vem crescendo cada vez mais no Brasil. A ideia de negócio surgiu no Startup Weekend Recife, evento apoiado pelo Google para empreendedores conceberem o modelo de negócio de uma empresa a partir de rodadas de pitch, seguidas de avaliação por pares e mentores. Em dezembro de 2013, a Lotebox foi selecionada para o Start-Up Chile, programa criado para fomentar o ecossistema empreendedor do Chile e acelerar empresas de todo mundo.

A partir dessas experiências e após algumas viagens prospectivas para China e Alemanha, a empresa atraiu a atenção de investidores internacionais e passou a ser investida pela Plug and Play, uma das maiores aceleradoras do Vale do Silício, na Califórnia. Hoje, com menos de um ano no mercado, a Lotebox já conquistou 1,5% do mercado, atuando no Brasil, EUA, Panamá, Chile e China.

 

Lucapi

Assim como a Intelipost, a Lucapi Tecnologia é uma empresa catarinense especializada em desenvolvimento de sistemas para a logística, com foco em gestão de fretes. Instalado no Polo Tecnológico de Informação e Comunicação da Região de Blumenau – Blusoft, o negócio nasceu em 2009 após seu fundador, Luiz Carlos Pivesso, ter cursado MBA da FGV em logística empresarial e ter se deparado que grandes empresas sofriam problemas com a gestão da contratação de fretes em planilhas de Excel.

A ideia de desenvolver uma ferramenta de tecnologia da informação para aproximar prestadores de serviços de transportes rodoviários e embarcadores foi uma das ganhadoras do Prêmio Sinapse da Inovação em 2010. O prêmio, oferecido em dinheiro, possibilitou que a ideia seja posta em prática e viabilizou a abertura da empresa.

A empresa possui dois softwares de gestão de frete. Um deles, o GoFrete, é uma interface de controle que permite ao cliente fazer simulações dos fretes para enviar suas mercadorias, comparar serviços, comprar produtos e gerenciar seus pagamentos, além de oferecer indicadores e acompanhamento de cargas em tempo real, dentre outras utilidades. Ou seja, oferece controle de todas as fases da operação logística de transportes: a negociação, contratação e entrega da mercadoria.

Já a Parceiro do Frete, outro software desenvolvido pela Lucapi, é um portal de frete colaborativo para viabilizar transportes de forma otimizada e a um menor custo, com o uso de tecnologia de informação para aproximar prestadores de serviços de transportes rodoviários e embarcadores. A prática de frete compartilhado entre empresas requer uma mudança no paradigma atual de mercado individualista para mercado colaborativo, onde a interação entre todos os atores na cadeia de distribuição logística gere ganhos cooperados.

Apesar da mudança de paradigma para uma abordagem que se aproxima a da economia colaborativa ser um desafio, a ferramenta de frete compartilhado apresenta muitos benefícios para a empresa cliente. Além de ser mais viável economicamente, o portal integra todos os modais de fretes do Brasil, auxilia na redução de emissões de gases de efeito estufa e outros poluentes, de desgastes de pneus e pavimentação e ainda minimiza custos de horas perdidas por falta de frete contratado.

Por fim, a ferramenta também melhora o relacionamento de oferta e demanda pelo serviço, pois permite aos transportadores terem acesso à tecnologia através de aplicativos em smartphones para administrar seus serviços e compartilhar estas informações com clientes.

 

ReSolution

A ReSolution oferece soluções em logística reversa através de uma plataforma desenvolvida para conectar o ponto gerador de produtos inservíveis ou resíduos com o ponto de tratamento ambiental.

O negócio surgiu estimulado pela promulgação e regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS. Os fundadores da empresa, que já atuavam na indústria eletroeletrônica, decidiram focar na operação logística de coleta e movimentação de produtos pós-consumo, frente à carência de soluções que até hoje se observa para atendimento de fabricantes, comerciantes e consumidores.

A empresa desenha, implementa e operacionaliza processos logísticos, em âmbito local, regional ou nacional, levando em consideração o interesse comum de compartilhar custos. O desafio foi desenvolver soluções logísticas para conciliar os diferentes e, às vezes conflitantes, interesses de três elos da cadeia de responsabilidade compartilhada: fabricantes/importadores, comerciantes e consumidores. Este desafio se torna ainda mais complexo ao elo intermediário devido aos consumidores que descartam diferentes produtos, que por sua vez exigem diversos tratamentos e que serão destinados à diferentes indústrias, devidamente homologadas por fabricantes e importadores.

Cabendo ao comércio a recepção de produtos considerados inservíveis pelo consumidor, a ReSolution atua como a parte única de contato com esse elo, na interface com os demais. Como a responsabilidade atribuída ao consumidor é descartar corretamente os produtos considerados por ele como inservíveis, a ReSolution oferece a possibilidade da coleta residencial, triagem e entrega de cada produto para o respectivo fabricante.

Fabricantes e importadores, que têm a responsabilidade pelo tratamento adequado de seus produtos e o desafio de atingir metas de tratamento estabelecidas pelos governos, contam com a ReSolution para coleta e transporte dos produtos descartados.

As ações e projetos viabilizados pela empresa sinalizam a melhor opção logística para otimizar o deslocamento de veículos e, dessa forma, reduzir o impacto de emissões por tonelada transportada, além de também realizar triagem para movimentar os produtos seja por tipo, marca ou destino de tratamento ambiental.

Em 2012 a ReSolution Ecologística Reversa foi oficialmente constituída e iniciou suas operações com o foco no mercado eletroeletrônico. Em 2015 expande sua área de atuação visado o segmento de lâmpadas, pilhas e baterias e está atualmente desenvolvendo uma inovadora solução para o problema dos resíduos orgânicos de restaurantes.

 

Truckpad

Fundada em 2013 em São Paulo, a empresa TruckPad a partir da ideia de desenvolver um aplicativo que conecta o caminhoneiro à demanda de carga. Com experiência de 30 anos trabalhando no setor de transportes, Carlos Mira, teve a ideia de montar a TruckPad após viagem ao Vale do Silício, na Califórnia, onde observou o surgimento de aplicativos digitais que substituem de forma mais eficiente diferentes funções e processos como uma tendência de mercado.  

Para viabilizar o negócio, Mira montou uma equipe e realizou estudos sobre o comportamento do caminhoneiro e assim testar sua aderência no meio digital. O principal objetivo do aplicativo é promover a imersão digital de um público historicamente offline em quase sua totalidade. Seu uso oferece ao caminhoneiro mais oportunidade de trabalho a um melhor preço, pois elimina contratantes intermediários e o permite ofertar cargas de forma independente em qualquer lugar do Brasil. De acordo com dados levantados pela TruckPad, os caminhoneiros usuários do aplicativo chegam a faturar até 50% a mais no mesmo serviço executado via agências de cargas.

Para a surpresa de todos, o aplicativo TruckPad teve uma alta adesão pelos caminhoneiros. A empresa contabiliza atualmente mais de 280 mil usuários diários. Além dos benefícios listados acima, a ferramenta oferece uma série de facilidades ao usuário, como indicar melhores rotas e paradas, além de operar em um dispositivo (os smartphones) que promove maior interação com família e amigos em viagens de longa distância.  

O maior desafio tem sido engajar as empresas contratantes. Ancoradas por processos logísticos antigos e pouco reformulados, elas não investem em inovações para aprimorá-lo e até enfrentam resistências internas para implementar mudanças. Ainda assim, os ganhos oferecidos pelos serviços da TruckPad às contratantes podem driblar essa resistência. O sistema na web, por exemplo, substitui os antigos TMSs (Transportation Management Systems) por uma plataforma mais automatizada e dinâmica na gestão de transporte. Além disso, o aplicativo permite o monitoramento da carga em movimento, gerando maior transparência e reduzindo riscos nesse elo da cadeia de valor da empresa embarcadora.

E os riscos e impactos dessas operações logísticas rodoviárias são vários, dentre eles a exploração sexual infantil. Outro ponto identificado recai nas frágeis relações de trabalho e pagamentos na prestação de serviço de transporte. A informalidade no setor de logística intensifica os riscos e impactos ligados a ele, e mostra como as empresas contratantes são corresponsáveis e, portanto, atores imprescindíveis para mudar esse cenário.

Além da rastreabilidade da carga em movimento, outra externalidade positiva atrelada ao aplicativo recai na redução da movimentação de caminhões vazios em estradas e centros urbanos. Por consequência, a indústria reduz as emissões de poluentes, CO2 e outros gases de efeito estufa.

Por fim, a TruckPad é fruto desse ecossistema de inovação e empreendedorismo que vem ganhando corpo no país. A empresa iniciou um processo de prototipação e aprimoramento do modelo de negócios através de eventos como o Startup Weekend, e passaram a ser investidos pela Plug and Play no ano passado.  No início de 2015 recebeu a primeira rodada de investimento da Movile, empresa de desenvolvimento de plataformas de comércio e conteúdo móvel, e vislumbra expansão internacional para esse ano.